sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Olá a todos,

Tenho de deixar aqui o meu testemunho de uma situação que me comoveu!
Hoje mais uma vez fui à Casa do Parque, Instituição à qual estou sentimentalmente "ligada", levar leite para 4 bébés.
Como estou sempre a "inventar" consegui criar na empresa onde trabalho um grupo que todos os meses disponibiliza dinheiro para ajudar esta instituição, todos os meses nos juntamos e ajudamos a Casa do Parque.

Seja como for, quando entrei, deparei-me com um casal, de visita à própria filha de 6 meses.
Aquilo doeu-me!!
Por alguma razão, aquela criança foi retirada aos pais. Pelo aspecto dos progenitores, diria que certamente, foi por razões económicas (mas isto sou eu a supôr). Quase de certeza que aquele casal não teria as condições ideais para criar a própria filha.
Afinal, supus mal!!! Foi retirada aos pais por negligência! E neste momento estão a trabalhar com o casal no sentido de ver se é possível o regresso há família biológica.
De qualquer forma, um casal que procura a filha numa instituição é porque não tem intenção de a abandonar, é porque quer ficar com ela.
Estas instituições têm de ser ajudadas. Infelizmente as verbas que o Estado dá, não chegam para pôr cobro às necessidades.
E é exactamente neste ponto que me quero focalizar. Todos nós podemos ajudar, seja com dinheiro, seja em regime de voluntariado!!
Estas crianças têm necessidade de afecto, carinho, educação... não falando então nos outros bens básicos, como comer, vestir, etc. , etc.
Eu, naïf que sou, continuo a acreditar (e ainda bem) que se todos nós fizermos um pouquinho que seja, o mundo torna-se melhor!
Viram o "Favores em Cadeia"? Se cada um de nós tiver um pequeno gesto para com outra pessoa, talvez para essa pessoa, seja um gesto ENORME!!
Sempre que vou à Casa do Parque, as crianças põem-se à minha volta e perguntam se as vou levar a passear... porque estão habituadas que os voluntários as levem a passear, tornando-se aquele UM GRANDE DIA para elas.

Assim, deixo aqui o pedido de apoio da Casa do Parque:

Casa do Parque
Estrada de S. Marçal, nº9 Outurela/Portela
2795-618 Carnaxide
Tel. 21-4167650
A CrescerSer - Associação Portuguesa para o Direito dos Menores e da Família (APDMF) é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, inscrita com o nº 48/89 no livro nº 3 das Associações de Solidariedade Social, em 17/11/86.
Dedica-se há vários anos à problemática das crianças em risco, com idades compreendidas entre os 0 e os 12 anos. Vítimas de negligência, abandono, maus tratos físicos e psicológicos, acolhendo-as (na sequência de uma decisão judicial) e definindo em equipa multidisciplinar, formada por psicólogos, juristas, técnicos de serviço social e educadores, entre outros, os Projectos de vida de cada criança acolhida.
Os Projectos de Vida traduzem-se no regresso à família biológica, na adopção, ou integração em lares.
A responsabilidade inerente ao trabalho que desenvolvemos em prol da Vida e do Futuro destas crianças tem-nos merecido uma grande atenção na procura da qualidade de resposta ás suas necessidades de Auto-Estima, Afecto, Educação e Socialização, o que nos obriga a acarretar custos muito superiores ás verbas disponibilizadas pela Segurança Social.
Assim, a Associação tem já em funcionamento 6 Centros de Acolhimento, a saber:
- Casa do Parque em Oeiras;
- Casa das Amoreiras em Lisboa
- Casa da Encosta em Carcavelos;
- Casa do Infantado em Loures;
- Casa da Cedofeita no Porto;
- Casa do Vale no Porto
Cada Centro de Acolhimento desta Associação acolhe dez a catorze crianças temporariamente e tenta os apoios possíveis, incentivando o mecenato social, quer junto de particulares, quer junto de outras Organizações Políticas ou privadas, num apelo à solidariedde e participação responsável num problema real: o das crianças em grave perigo social.
Este Centro de Acolhimento tenta incentivar o mecenato social sendo as principais contrapartidas desta colaboraçao a obtenção de benefícios fiscais através da apresentação de um recibo dedútivel no IRS/IRC, conforme a Lei do Mecenato.
Neste contexto, vimos por este meio solicitar que seja analisada a possibilidade de nos apoiar em termos de géneros alimentícios (produtos enlatados tais como salchichas, ervilhas, grão), cereais para o pequeno almoço, leite, sal e produtos de higiene (fraldas dos 10Kg aos 15 Kg e dos 15 aos 20 Kg, toalhetes, champos para bebes, hidratantes para o corpo etc) e limpeza (detergentes para a máquina de lavar roupa, amaciadores etc). Temos ainda como necessidade premente cadeirinhas para automóvel dos 13 meses aos 3 anos.
Na expectativa de uma resposta positiva, apresentamos os nossos melhores cumprimentos, agradecendo antecipadamente a atenção dispensada a este assunto.
Atenciosamente,
A Directora Técnica A Directora Adjunta
Ana Maria Faustino Teresa Manoel



2 comentários:

Marta Mello Breyner disse...

Bom dia Rita,
Queria dizer-lhe que ontem a Casa do Parque foi "vitima" de um programa de restauração do tipo "Queridos mudei a casa!" COmo responsável da iniciativa, tudo foi pintado, reciclado, costurado, arrumado, limpo, melhorado, etc. pelos voluntários da GlaxoSmithKline que dedicaram o seu dia à comunidade, canalizando todos os esforços para a casa do Parque. Hoje às 16 horas os miúdos de vendas nos olhos vão "estrear" a casa ! Dado que conhece bem a instituição diga-me o que achou das "obras". Um beijinho. Marta Mello Breyner

Rita Almeida disse...

Fiquei feliz com esta notícia!!! E peço muita desculpa por só agora ter visto!!
Eu tenho lá ido de vez em quando levar coisas, mas vou lá tão "a correr" que não dei conta das obras :(
Quando lá for novamente, vou perguntar e saber o que foi melhorado!!!
E obrigada por ter partilhado esta boa notícia comigo!
Beijinhos
Rita